IML - Instituto dos Mares da Lusofonia

IML
Achado arqueológico em Esposende

achado esposende

A mais recente situação de mau tempo, durante o último Inverno, com violenta ondulação na costa, pôs a descoberto um achado inédito, em Esposende, que tem vindo a ser recuperado e tratado pelo núcleo arqueológico da respectiva Camara Municipal, composto por traves de madeira pertencentes a navio ou navios  ali naufragados, com destaque para munições de vários tipos e grande quantidade de artefactos em estanho e latão.

Neste achado foi determinante a acção responsável de uma família residente próximo à praia de Belinho, em S. Paio de Antas, cujo empenho na recolha dos artefactos e posterior comunicação à Camara Municipal merece um público louvor.  Os materiais encontrados poderão estar eventualmente ligados a dois sinistros, um na Época Romana, com centenas de materiais cerâmicos, e um outro na Época Moderna (contemporânea ao período dos descobrimentos), de que fazem parte as peças da própria embarcação e a já citada larga quantidade de artefactos metálicos.

            Toda a costa marítima de Esposende tem servido de palco ao longo dos anos a diversos tipos de sinistros marítimos, estando referenciadas numerosas situações de navios encalhados nos “Cavalos de Fão”, onde alguns acabaram por se perder. São conhecidos também sinistros resultantes da formação de densos mantos de nevoeiro, durante o verão, e inevitavelmente outros tantos provocados por vaga alterosa durante a passagem de violentos temporais. E da mesma forma terá de ser considerado o afundamento de navios mercantes por submarinos, em ambos os períodos das duas guerras mundiais, tal como antes, pela acção do corso, que no passado aterrorizou os marítimos do norte do país.

Continuar...
 
A Fragata portuguesa "Bartolomeu Dias" em visita a Angola

bartolomeu dias ag redNa sequência da participação no exercicio multinacional OBANGAME EXPRESS, a fragata N.R.P. BARTOLOMEU DIAS visita Angola entre 26 de Abril  e 3 de Maio, escalando Lobito e Luanda. Esta cooperação com a Marinha de Guerra de Angola enquadra-se na Iniciativa Mar Aberto 2014, que visa o aprofundamento e reforço da cooperação bilateral junto de países membros da CPLP, complementando através de diversas ações de instrução e treino as atividades que se inserem no âmbito da Cooperação Técnico Militar – CTM bilateral Angola - Portugal.

Antes de chegar ao Lobito o navio embarcará ao largo do Ambriz uma equipa da Brigada de Fuzileiros Navais da Marinha de Angola, aproveitando assim o trânsito para realizar ações de instrução e treino conjunto de vistoria e abordagem no mar. Este treino prolongar-se-á durante o período da visita, estando também previstas, entre outras, acções de instrução e treino de marinharia e eletromecânica. Está prevista a realização de recepções a bordo, no Lobito e em Luanda, e de  conferencias pelos CFrag’s Mesquita Onofre e Marcelo Correia no Comando da Região Naval Sul e na sala de conferencias do Comando da Marinha de Angola, em Luanda.

Em paralelo, por iniciativa da Embaixada de Portugal, realiza-se nas instalações do Instituto Camões, em Luanda, na manhã de 2 de Maio, um workshop “Os desafios estratégicos do alargamento da plataforma continental” onde intervêm os V/Alm. Martinho António (Angola) e o C/Alm Silva Ribeiro (Portugal).

 
Portugal participa em Exercício no Golfo da Guiné e coopera com a Marinha de Angola

ff bartolomeu dias

A fragata portuguesa BARTOLOMEU DIAS e um destacamento da Esquadra 601 da Força Aérea de Portugal, incluindo uma aeronave P3C CUP + Orion, participaram no período de 16 a 23 de Abril de 2014 no exercicio muiltinacional OBANGAME EXPRESS  que se realizou na área do Golfo da Guiné, nas imediações das costas da Nigéria e da República dos Camarões.

Todas as nações presentes neste exercicio tem um papel muito importante na segurança marítima regional e todos nós sabemos que nenhuma nação, por si só, pode assegurar a segurança do tráfego marítimo..... assinalou no inicio deste exercicio a CMG Nancy Lacore, da Marinha de Guerra Norte-Americana, directora do exercício em apreço. O OBANGAME EXPRESS tinha como objetivos fomentar a segurança marítima na região, promover a cooperação entre os países participantes e reforçar as capacidades dos países africanos da região no combate às ameaças que ocorrem no seu ambiente marítimo, em particular a pirataria e os diversos tráficos ilicitos. Na fase de mar foram treinadas técnicas de abordagem e vistoria e acções SAR (busca & salvamento marítimo) incluindo ações de emergência médica. Foram ainda testadas as capacidades de comando e controlo e de comunicações dos diferentes meios envolvidos.

Este exercicio é um dos quatro exercicios anuais realizados nas costas de África pela Marinha dos Estados Unidos  e integra o programa Africa Partnership Station. O número de países participantes, vinte e um, foi anormalmente elevado, sinal de que a comunidade internacional se apercebeu já quer da importância estratégica do Golfo da Guiné como do crescimento recente do número de incidentes de pirataria na região. Para além da República Popular de Angola, Brasil, Portugal e S. Tomé e Principe, da CPLP, marcaram presença diversos países da NATO, designadamente a Bélgica,  Espanha, França, Holanda e Turquia.

Após ter participado com a Marinha angolana num exercício multinacional de segurança marítima ao largo dos Camarões o NRP Bartolomeu Dias vai atracar no porto do Lobito, no próximo dia 27, para uma visita de quatro dias, onde irá desenvolver várias ações no âmbito da cooperação bilateral.

Continuar...
 
<< Início < Anterior 41 42 43 44 45 46 47 Seguinte > Final >>


APOIANTES do IV CONGRESSO - 2016

 

 

"...desenvolverá um conjunto de iniciativas e actividades - seminários e conferências relativas ao Mar e à Lusofonia..."


O Instituto dos Mares da Lusofonia tem por missão estimular e intensificar a forma como os Países Lusófonos se posicionam individualmente e interagem entre si nas questões relacionadas com os oceanos.

Esta iniciativa visa contribuir para o alargamento e para a disseminação dos conhecimentos científicos relativos ao uso dos espaços marítimos, bem como encontrar áreas comuns de cooperação, que potenciem o desenvolvimento das economias do mar nos diversos países de expressão portuguesa, procurando, desta forma, ir também ao encontro do espírito e objectivos definidos pela Comunidade de Países de Língua Portuguesa - CPLP.