IML - Instituto dos Mares da Lusofonia

IML
Miguel Marques apresentou Leme - Brasil e Leme-CPLP

leme miguelmarques

No passado dia 4 de Abril foram apresentados publicamente  por Miguel Marques, sócio da PwC, em S. Paulo, no Brasil, os documentos da PwC  “LEME – Brasil no Mundo” e “LEME – CPLP no Mundo”. Ambos os documentos foram elaborados pelo centro de excelência global de economia do mar da PwC, sedeado em Portugal. 

  A apresentação do “LEME – Brasil no Mundo” contou com a presença da Ministra do Mar de Portugal Engª. Ana Paula Vitorino e com uma Representação Oficial da Marinha do Brasil chefiada pelo Alm. Kuster, que partilharam experiências da economia do mar dos dois países. 

 O documento LEME apresentado conclui que: (i) no que respeita a transportes marítimos, embora o Brasil esteja localizado fora do maior corredor de navegação comercial, tem dimensão, carga de matérias-primas e frota em quantidade suficiente para potenciar os transportes marítimos, portos e logística; (ii)no que respeita à construção naval, em 2017, construiu 0,7% dos navios novos construídos no mundo; (iii)  no que respeita a energia está no “Top 10” mundial de energia  offshore (petróleo & gás); (iv) no que respeita à segurança, figura no “Top 25” das maiores marinhas de guerra do mundo; (v) no que respeita à fileira alimentar está no “Top 15” mundial na aquacultura de águas interiores e (vi) no que respeita ao turismo e desportos náuticos o potencial do Brasil é elevado e no ranking dos melhores atletas do mundo em desportos náuticos é normal encontrarem-se atletas do Brasil. 

   A apresentação do “LEME – CPLP no mundo” decorreu na exposição intermodal, na conferência organizada pela Associação dos Portos de Língua Oficial Portuguesa (APLOP). O documento LEME apresentado conclui que com uma área total de Zona Económica Exclusiva de cerca de 7,9 milhões de Km2, os países que formam a CPLP têm a quarta maior ZEE do mundo.

Continuar...
 
Orey Técnica Naval lança pulseiras Sea Tags

foto sea tags

 

  A firma Orey Técnica Naval acaba de lançar em Portugal as pulseiras Sea Tags, o primeiro sistema de alarme inovador, único no país, que funciona através de ligação ao smartphone. Através deste sistema, que dispõe de uma aplicação gratuita, é possível receber um alerta no smartphone, no caso de uma situação de  “Homem ao Mar”.

 Este sistema de alarme foi especialmente desenvolvido a pensar nas embarcações de recreio e é o primeiro no mercado a ser compatível com a ferramenta mais comum da atualidade – o smartphone. Também poderá ser utilizado no âmbito das atividades de  pesca.

      As Sea Tags foram as vencedoras do prémio ‘Dame Design Awards 2016’ no METS TRADE, Feira Internacional de equipamentos marítimos, na categoria de “Lifesaving and Safety Equipment”. Além do seu design atractivo, este equipamento de facil utilização permite transmitir continuamente um sinal que é monitorizado por um ou vários smartphones através de uma aplicação gratuita, utilizando as tecnologias Bluetooth e GPS. O sistema em apreço foi cuidadosamente desenvolvido para evitar falhas e para ser monitorizado por vários telemóveis ao mesmo tempo, assegurando assim a segurança de toda a tripulação.

   Em caso de “Homem ao Mar”, assim que a pulseira estiver imersa ou longe da embarcação, o sinal é interrompido e o(s) smartphone(s) accionam um alarme e registam a posição GPS no momento do incidente.

Continuar...
 
Negociação da extensão da plataforma continental portuguesa inicia-se em 14 de Agosto

extenplatcontinred

A primeira reunião para negociações da proposta portuguesa de extensão da sua plataforma continental está agendada para o próximo dia 14 de Agosto (2017), nas Nações Unidas. De acordo com o Ministério do Mar, a reunião decorrerá no âmbito do grupo de trabalho que a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) acaba de criar para o efeito e que constitui um passo decisivo no processo desencadeado por Portugal em 2009.

A proposta portuguesa visa alargar em dois milhões de quilómetros quadrados a área marítima sob jurisdição nacional, o dobro da actual, recorda o Ministério do Mar. Em Portugal, o processo é coordenado pela Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC), tutelada por aquele Ministério. Nas Nações Unidas, a CLPC é constituída por 21 Comissários, peritos em hidrografia, geologia e geofísica, dos quais 7 irão formar a subcomissão que vai avaliar a proposta portuguesa”.

Recorda-se que de acordo com o artigo 76º da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, a plataforma continental de um Estado costeiro compreende o leito e o subsolo das áreas marinhas que se estendem para além do seu mar territorial, em toda a extensão do prolongamento natural do seu território terrestre. Se a proposta nacional for bem sucedida, Portugal ampliará amplamente a área marítima sobre a qual exerce direitos soberanos, com reflexo no conhecimento e aproveitamento dos seus recursos naturais.

 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>


APOIANTES do IV CONGRESSO - 2016

 

 

"...desenvolverá um conjunto de iniciativas e actividades - seminários e conferências relativas ao Mar e à Lusofonia..."


O Instituto dos Mares da Lusofonia tem por missão estimular e intensificar a forma como os Países Lusófonos se posicionam individualmente e interagem entre si nas questões relacionadas com os oceanos.

Esta iniciativa visa contribuir para o alargamento e para a disseminação dos conhecimentos científicos relativos ao uso dos espaços marítimos, bem como encontrar áreas comuns de cooperação, que potenciem o desenvolvimento das economias do mar nos diversos países de expressão portuguesa, procurando, desta forma, ir também ao encontro do espírito e objectivos definidos pela Comunidade de Países de Língua Portuguesa - CPLP.