IML - Instituto dos Mares da Lusofonia

IML
Navio da Marinha portuguesa no Golfo da Guiné

nrp-viana castelo

O navio patrulha oceânico da Marinha portuguesa, “Viana do Castelo”, largou no dia 20 de Agosto, da Base Naval de Lisboa, em direcção à costa ocidental africana, iniciando uma missão no âmbito da cooperação no domínio da Defesa, diplomacia naval e apoio à política externa do Estado, inserida na iniciativa MAR ABERTO 2018.

Nesta missão, que se prolongará até ao próximo dia 29 de Outubro, o navio navegará cerca de 10.000 milhas náuticas, visitando a República de Angola, a República Democrática de São Tomé e Príncipe, a República da Costa do Marfim e a República de Cabo-Verde.

Durante a permanência nos referidos países, o navio desenvolverá acções no âmbito dos acordos de cooperação bilateral com as Marinhas dos países amigos, em matérias tão diversas como a vigilância, patrulhamento marítimo e segurança marítima, bem como outras ações de apoio à política externa do Estado e a promoção da indústria da base tecnológica de Defesa Nacional junto dos países visitados.

Actualmente, o navio tem embarcados 53 militares, incluindo o Comandante da Unidade de Tarefa - capitão-de-mar-e-guerra Noronha Bragança, a Comandante do navio, capitão-tenente Vânia Filipa Carvalho, uma equipa de fuzileiros, uma equipa de mergulhadores e uma equipa médica.

A missão do navio à costa ocidental africana vai permitir efectuar o transporte de diverso material em apoio a entidades e organismos sediados nesses países, iniciando com uma escala em São Tomé e Príncipe, onde assume especial importância o apoio logístico ao navio patrulha “Zaire” que se encontra em missão de longa duração desde 3 de janeiro de 2018, no âmbito da capacitação da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe.

(Informação prestada pelo EMGFA português)

 
Fragata da Marinha portuguesa liderou força naval multinacional em exercícios em Cabo Verde

A Força naval multinacional “EUROMARFOR”, habitualmente composta por navios de Portugal, Espanha, França e Itália, comandada pela fragata “Côrte-Real” da Marinha Portuguesa, esteve a participar no “Multi-cooperative Exercise 2018”, que consiste num conjunto de exercícios e actividades de demonstração de capacidades que se realizam em acções combinadas com a Marinha da Mauritânia e a Guarda-Costeira de Cabo Verde. 

Neste âmbito, foi incluída uma visita ao porto da Cidade da Praia entre os dias 6 e 8 de Julho de 2018.
Foram realizadas, entre outras, actividades de treino e formação da Guarda-Costeira e dos Fuzileiros de Cabo-Verde, bem como a formação do Destacamento de Mergulho da Unidade de Operações Especiais (UEO) de Cabo-Verde, pelo Destacamento de Mergulho da fragata “Côrte-Real” da Marinha Portuguesa.
No dia 8 de Julho foi realizado um exercício de abordagem e fiscalização não consentida (sem oposição), bem como um exercício SAR (“Search And Rescue”), pelos navios a participar no “Multi-cooperative Exercise 2018”.
O objectivo deste exercício, organizado pelas Marinhas pertencentes à iniciativa EUROMARFOR, em colaboração com a Guarda Costeira de Cabo- Verde, é promover e melhorar a cooperação entre esta Força naval europeia e a Guarda Costeira deste País, através de exercícios seriados no mar e demonstração de capacidades no porto, focado em operações marítimas, tendo em mente treinar procedimentos para os desafios atuais de segurança internacional.

Continuar...
 
Navio patrulha "Zaire" da Marinha portuguesa visita a Nigéria em cooperação no combate à pirataria

bordonrpzaireredO navio patrulha “Zaire” da Marinha Portuguesa, em missão na área de São Tomé e Príncipe visitou a Nigéria para participar, entre o dia 28 de Maio e 01 de Junho de 2018, no exercício internacional organizado pela Marinha da Nigéria "Eku-kugbe18", que tem como objectivo promover a cooperação e a interoperabilidade entre as marinhas e as Guardas-costeira dos países do Golfo da Guiné e nações amigas face, face ao acréscimo de actividades criminosas que têm vindo a acontecer nesta região, onde se destacam os actos de pirataria, tráfico de droga e pesca ilegal e abusiva dos recursos marinhos.

Este exercício, cujo nome, no dialeto da Nigéria, significa cooperação e trabalho de equipa, juntou ainda mais de 15 navios de várias Marinhas, desde a Nigéria, Camarões, Gana, Togo, França e China, tendo envolvido igualmente uma aeronave de asa fixa e dois helicópteros da Marinha Nigeriana

Entre os exercícios realizados, destaca-se a simulação de resgates de navio mercantes sequestrados por piratas e a apreensão de embarcações de pesca em atividade ilegal.

Durante o período de navegação, o navio português embarcou elementos da futura guarnição da Guarda-costeira Santomense, que aproveitaram para adquirir experiência e treino interno.

Existiu ainda oportunidade para o navio atracar no porto de Lagos na Nigéria, onde contou com a presença do Embaixador de Portugal na Nigéria e do Comandante Naval da Marinha Portuguesa. Posteriormente regressou às águas de São Tomé e Príncipe onde prossegue a sua missão de capacitação da Guarda-costeira Santomense.

Continuar...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 Seguinte > Final >>


APOIANTES do IV CONGRESSO - 2016

 

 

"...desenvolverá um conjunto de iniciativas e actividades - seminários e conferências relativas ao Mar e à Lusofonia..."


O Instituto dos Mares da Lusofonia tem por missão estimular e intensificar a forma como os Países Lusófonos se posicionam individualmente e interagem entre si nas questões relacionadas com os oceanos.

Esta iniciativa visa contribuir para o alargamento e para a disseminação dos conhecimentos científicos relativos ao uso dos espaços marítimos, bem como encontrar áreas comuns de cooperação, que potenciem o desenvolvimento das economias do mar nos diversos países de expressão portuguesa, procurando, desta forma, ir também ao encontro do espírito e objectivos definidos pela Comunidade de Países de Língua Portuguesa - CPLP.